Categoria: Processo de Trabalho

Se tem uma coisa que gostamos de fazer (além do nosso trabalho, é claro) é contar nossa história. Não que achemos que seja uma história de quem já venceu na vida e pode descansar encima de um legado de 10 anos, mas sim porque achamos que compartilhar o que aprendemos até aqui pode ser útil para quem está começando agora e não quer cometer os mesmos erros que cometemos.

Não é fácil começar uma empresa quando se tem tão pouca idade (e conhecimento empresarial) quanto tínhamos, mas todas as experiências serviram para que pudéssemos entender melhor nosso negócio, definir um foco específico e termos uma empresa de fato, que se consolida ao passo que estamos entrando em nosso décimo ano (caraca, é muito tempo!).

28.ago.12
Por Lêo Schallenberg

A clássica história do porco e da galinha.

Mesmo assim, achei importante termos pelo menos um registro disso no blog da agência, enfim, fazermos parte da disseminação. Para quem ainda não conhecia, melhor ainda.

A história, um tanto quanto estranha é claro, serve muito bem para explicar os papéis de cada indivídulo no Scrum. Uma analogia sobre envolvimento e comprometimento.

A premissa básica é de que o porco disponibiliza o próprio bacon dele na empreitada. Quem tem o papel do porco geralmente é quem executa, quem “faz” o trabalho.

A galinha é a que tem algo a ganhar com a performance do porco, e no final, não contribui realmente no dia a dia para “fazer acontecer”. Os “ovos” dela são apenas recursos, e muitos são “chocados”, “fecundados”.

18.jul.12
Por Andy Brisola

A Agência UpSide desenvolve soluções para o mercado digital desde 2004 e assina alguns dos principais projetos web da região norte gaúcha. Trabalhamos em um mercado tecnologicamente cosmopolita e, a cada novo dia, encontramos um oceano de informações que precisam ser recebidas, processadas e monitoradas.

Trabalhamos com uma rotina que ultrapassa (e de longe!) a barreira do simples desenvolvimento de um site. Precisamos entender o perfil do consumidor-alvo (marketing), montar um escopo compatível com este perfil – e com as expectativas de nosso cliente (planejamento), desenvolver uma tecnologia simples, dinâmica e funcional (programação), dentro de uma interface intuitiva e agradável (design) e que gere tráfego e audiência ao nosso cliente (monitoramento).

02.jul.12
Por Lêo Schallenberg

Quando falamos em técnicas para estimativa e planejamento no Scrum, qual a primeira que vem à sua cabeça?

Horas? Dias? Story points? Ok.

“O Scrum fala de um método oficial para isso”, deve pensar.

Na verdade, não.

Veja, nada no Scrum diz que você precisa usar uma técnica específica para isso.

Tags: